Biografia

O ano era 1982. Ano que o cinema viu um baixinho com os dedos longos invadir o coração de todo mundo, e sua única fala era “E.T/CASA/TELEFONE”.


Nesse ano no dia 19, do mês 10, em uma casa simples com objetos de cor forte e bem distribuídos, nasce Lucy Ramos. O cenário: Recife.


Aos cinco anos foi levada para São Paulo, prometida terra fértil! Com dezesseis anos, despertou a curiosidade do meio da moda. Trabalhou bastante, viajou, brilhou.


Quis estudar artes cênicas, entrou no curso do SENAC. Estudou e fez outros tantos cursos. Aconteceu o elenco de apoio na novela “Começar de novo” da TV globo. Participou de “Malhação”. Foi convidada para ingressar na “Oficina de atores”, da mesma emissora.


A novela “Sinhá Moça” da rede Globo, foi onde apareceu com um personagem de destaque, Adelaide. Tirou nota dez em um dos maiores jornais do Brasil, foi indicada a prêmio de atriz revelação.


Os olhares voltados para essa mulata já quase mulher, saíram da tela 4:3 e passaram para a tela grande. Foi convidada para fazer uma participação no filme americano “Turistas”.


Depois chegou outro convite, fez uma participação especial no filme “Um Dia de Ontem”, premiado no Brasil e no Exterior. Aceitou fazer alguns curtas-metragens, entre eles o curta “Inocente”, aplaudido no Los Angeles Latino Film festival.


Mais novelas, “Pé na jaca”, dando vida a uma patricinha, Guguta. Se arriscou como uma vilã em “Ciranda de Pedra”, Luciana. E depois uma caipira espevitada na novela “Paraíso”, Cleusinha. Entre um trabalho na televisão e outro, foi convidada para fazer a peça premiada “O Cravo e a Rosa”. E ela cantou e dançou.


Como em um passe de mágica, surgiu a novela “Cordel Encantado”. E mais encantado ainda ficou o publico com a personagem Maria Cesária. Na novela “Salve Jorge” da vida a carioca da gema, sonhadora, Sheila.



Por Thiago Luciano

Lucy Ramos © 2015 Todos os Direitos Reservados / Desenvolvido por Webgráfica